Marco Almeida recebe Daniel Oliveira, Manuel Monteiro e Pacheco Pereira na Conferência “Sintrenses e a Europa” – a primeira do ciclo Sintra em Conferência

CartazConferênciaIniciativa que convida à reflexão e debate sobre a participação política de movimentos cívicos, conta com a presença de convidados de diferentes espectros políticos, procurando diversificar o ângulo de reflexão sobre o tema.

Tendo por mote o Dia da Europa, que se comemora na véspera, o Movimento “Sintrenses com Marco Almeida” realiza esta primeira conferência já no próximo dia 10 de Maio, às 16H00, na Escola Secundária Padre Alberto Neto (Queluz), com a presença dos convidados Daniel Oliveira, Manuel Monteiro e Pacheco Pereira.

É-se tentado a estabelecer um paralelo entre esta iniciativa que hoje lançamos e as “Conferências do Casino”, nos idos de 1871, promovidas por Antero de Quental e a que a Geração de 70 aderiu entusiasticamente.

À época o país encontrava-se afastado das novas correntes do pensamento europeu, procurando-se com elas, reflectir sobre as mudanças em curso e uma participação activa de Portugal na polis europeia.

Já os tempos actuais, em face das mudanças políticas e sociais e de um novo paradigma do modelo económico, a par da reivindicada solidariedade comunitária e das questões relativas à União Europeia e ao figurino institucional – que motivam musculadas discussões em torno dos princípios e valores que estiveram na sua génese e cuja ameaça de falência se vê amiúde convocada -, exigem reposicionamentos mas, antes do mais, aprofundamento da visão sobre o que se espera duma Europa a 27, sendo para tal é crucial que os cidadãos europeus se envolvam e participem numa construção que lhes diz respeito.

A participação política de movimentos cívicos e o seu claro contributo para o aprofundamento da cidadania, promovendo a reflexão sobre temas que, podendo ser mais ou menos próximos, são igualmente estruturantes na vida de todos, reclamando o alargamento da base de decisão e uma interiorização clara da importância da tomada de posição de cada um para a construção dum futuro que é de todos, está na base desta iniciativa.

Assegurada por ex-deputados europeus e reputados pensadores, quer os oradores convidados, quer a moderação, que estará a cargo de António Capucho, contribuirão nesta Conferência para a promoção de um debate de ideias livre e esclarecedor, que se pretende que concorra para a renovação e relegitimação da representatividade política dos cidadãos.

O lançamento de mais esta iniciativa do Movimento “Sintrenses com Marco Almeida” visa, ainda, consolidar a respectiva representatividade nos diferentes sectores da sociedade civil, garantindo que as linhas de acção do Movimento espelhem as preocupações e ambições dos seus concidadãos.

Também agora, como há 143 anos, com as referidas “Conferências do Casino”, defende-se o primado da modernidade e, desta feita, do livre pensamento político, social e cultural.

O acesso e participação na conferência é livre.

http://marcoalmeida.net/

https://www.facebook.com/Sintra.MarcoAlmeida

Aos 7 de Maio de 2014

Anúncios
por Sintrenses com Marco Almeida - União Freguesias Massamá e Monte Abraão

COMUNICADO – Câmara de Sintra corta no apoio às escolas

Transcrevemos na íntegra o Comunicado dos vereadores do Movimento Sintrenses com Marco Almeida onde se percebe que a demagogia pré-eleitoral sofre novo revés. Desta feita são as escolas, entidades já de si afectadas e atingidas por políticas de educação demasiado penalizadoras por parte do governo central e que têm agora continuação por parte da autarquia de Sintra que, em anos anteriores foi um verdadeiro sustentáculo da actividade e das infraestruturas do parque escolar do concelho.

Se a isto aliarmos o que se percebe nos orçamentos das freguesias, nomeadamente, das que estão em consonância com a autarquia, e em particular, em Massamá Monte Abraão, percebemos que Educação e Intervenção Comunitária alimentaram discursos mas depois de cairem no fundo das urnas ficaram por lá esquecidas. As prioridades agora são outras.logo2017

COMUNICADO

Câmara de Sintra corta no apoio às escolas

Descarregue aqui: Comunicado Câmara corta no apoio às escolas.docx

A aposta em fazer vingar diferentes soluções que revelem mais-valias, num processo dinâmico e de abertura franca a novas perspetivas, em contraponto à cristalização das soluções só porque se acreditou na sua eficiência, faz parte dos princípios em que nos revemos e que enformam o Movimento “Sintrenses com Marco Almeida”.

Ora vem isto a propósito do anúncio que o atual Executivo da Câmara Municipal de Sintra fez chegar às Direções dos Agrupamentos de Escolas do Concelho, dando-lhes nota de que terá sido necessário ajustar o valor da 3ª e última tranche do “Programa de Manutenção e Conservação dos Equipamentos Escolares”, alegadamente em cumprimento das orientações constantes na Lei do Orçamento de Estado, conjugadas com as determinações internas em matéria de realização de despesas por parte do Município, resultando num corte de até 20% no valor da mesma.

Convirá salientar que este Programa respondia, à data do seu lançamento pelo anterior executivo, ao reconhecimento de que uma gestão de proximidade, também ao nível das Escolas, é facilitadora da resolução eficiente e eficaz dos problemas, bem como ainda da desejável co-responsabilização dos diferentes utentes pela manutenção das instalações, tendo redundado na celebração de protocolos com os diferentes Agrupamentos, visando a reparação corrente, manutenção periódica e geral dos equipamentos escolares, suportados por comparticipações financeiras que consagravam uma verba base em função da dimensão da escola e outra por aluno.

Para além das já referidas agilização e responsabilização, a poupança e a valorização dos recursos endógenos, na medida em que as intervenções poderão porventura ser assumidas sem recurso a meios exteriores à própria escola, não serão vantagens menores.

Tal acordo anunciava no próprio texto que era celebrado livremente e de boa-fé. Somos tentados a alegar que boa-fé é o que parece faltar na medida agora anunciada, já que da autarquia não terá havido sequer a observância daquilo que o respeito entre parceiros pressuporia, ainda para mais ferida de irregularidade, já que estipula o clausulado que qualquer alteração só será válida se constar de documento escrito, carecendo da assinatura de ambos os outorgantes.

Parceira ou não, eis a questão!

Ao arrepio das mais elementares regras de bom senso e de zelo por um relacionamento institucional com as escolas que permita entrever parceria e reciprocidade de objectivos para chegar melhor ao que é o bem comum, a autarquia opta por “mudar as regras a meio do campeonato”, de forma unilateral, afrontando os princípios basilares duma convivência sã e comprometendo as vantagens que foram sendo capitalizadas nos últimos anos.

E, se tivermos em conta, que as razões economicistas terão ditado este atropelo, bastará pensar que tal medida poderia ter-se visto diferida para Setembro deste ano, coincidindo com a data de celebração de novo protocolo.

Não se goravam expectativas e, afinal, a poupança, a revelar-se crucial, concretizar-se-ia do mesmo modo, porquanto se trataria do mesmo ano económico!

O fim seria o mesmo. Mudava-se apenas o meio para o conseguir.

E isso faz TODA a diferença!

Aos 30 de Abril de 2014

Os Vereadores eleitos pelo Movimento “Sintrenses com Marco Almeida”

por Sintrenses com Marco Almeida - União Freguesias Massamá e Monte Abraão